Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Sections
Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Notícias 2009 Comunidade discute os efeitos da crise econômica sobre as universidades

Comunidade discute os efeitos da crise econômica sobre as universidades

Comunidade discute os efeitos da crise econômica sobre as universidades

Luiz Filgueiras apresentou dados sobre a atual e outras crises econômicas. Foto: Danielle Cardoso - Ascom/Uefs.

   Representantes da comunidade da Uefs que participaram, terça-feira (2), do debate sobre os efeitos da crise econômica sobre as universidades estaduais baianas mostraram-se temerosos quanto à possível ausência de suplementação orçamentária no segundo semestre, o que comprometerá o funcionamento da Instituição.

   A afirmação do chefe de Gabinete da Secretaria da Educação da Bahia (SEC), Aderbal de Castro Meira Filho, de que as universidades não sofrerão contingenciamento até dezembro, não foi suficiente para tranqüilizar os presentes quanto à situação financeira da Uefs. “Estão sendo aplicadas medidas de contingenciamento para alguns setores, inclusive da SEC; porém, foi acertado que tais medidas não recairão sobre as universidades estaduais”.

   Para o reitor da Uefs, José Carlos Barreto, o debate sobre a crise econômica e as universidades deve ser aprofundado. Apesar do Governo não acenar com contingenciamentos, pondera o reitor, deve-se considerar os diversos questionamentos da comunidade universitária.

   A referência diz respeito a colocações feita durante o debate, como a do representante do DCE, Giliad Souza, que se mostrou temeroso quanto a suplementações orçamentárias. A Uefs já encaminhou ao Fórum de Reitores das Universidades Estaduais da Bahia proposta para realizações de outros debates sobre crise econômica e orçamento.

  O debate, promovido pelas entidades de classe dos professores (Adufs), alunos (DCE) e servidores (Sintest) e pela Reitoria da Uefs, contou com a participação do professor doutor Luiz Filgueiras, da Ufba. Ele falou sobre as causas da atual e de outras crises econômicas que abalaram o sistema capitalista no século 20, com abordagens sobre concepções teóricas da Economia, além das perspectivas para os próximos meses.

   Além da Uefs, são mantidas pelo Governo a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), a Universidade do Sudoeste da Bahia (Uesb) em Vitória da Conquista e a Universidade de Santa Cruz (Uesc) em Ilhéus.

Feira de Santana, 3 de junho de 2009.

Ascom/Uefs.